Daniel orando e o anjo Gabriel lhe aparecendo (Daniel 9, 21). Gravura em madeira publicada em 1886.

Por Thais Rocholi

Percebi que das pesquisas do Google, os meus textos mais procurados foram aqueles sobre o Shemitá e as guerras ao longo do atual momento que estamos vivendo. Não sou nenhuma sensacionalista, mas esse assunto é muito adequado para transmitir a mensagem acerca da escatologia bíblica.

O episódio que marca os acontecimentos finais é a vinda de Cristo e o derramamento das taças da ira do Cordeiro que encontra-se na segunda metade do período de 7 anos de um ano Shemitá, que finaliza a profecia das 70 semanas de anos de Daniel, cuja revelação foi dada após muitas orações e súplicas por misericórdias perante o pecado do povo de Israel. Na hora 9ª, entre meio dia e 3 horas da tarde, o anjo Gabriel apareceu para Daniel afim de instruí-lo sobre a visão que é designada como a Grande Tribulação.

“Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos

E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.” Daniel 9:25, 26

As 70 semanas são 490 anos, que se explica no princípio bíblico de que a a profecia usa um dia para representar um ano. Esse relato está divido em 3 fases: 7 semanas são 49 anos, 62 semanas são 434 anos e o último período de 1 semana que são 7 anos. A cronologia desse período de 7 semanas ou 49 anos se divide contando desde a ordem para saída do exílio da Babilônia até a restauração de Jerusalém que já aconteceu.

 A segunda etapa das 62 semanas ou 434 anos foi contada a partir da restauração de Jerusalém até a morte do Ungido, que também já aconteceu, pois em 457 a.C, no sétimo ano de seu reinado, o rei Artaxerxes emitiu um decreto dando permissão a Esdras para retornar a Jerusalém para completar os esforços para reconstruir a cidade (Esdras 7: 6-10 ; Esdras 9: 9).

Já a última semana de 7 anos será dividida em 2 partes de três anos e meio, período que ainda não ocorreu. Nesse momento surgirá um líder com autoridade mundial, cuja finalidade é fazer uma aliança de um governo global em que irá assinar um tratado de paz entre Israel e as nações árabes. Enquanto isso não acontece, se prepare, pois o Espírito Santo irá ceifar a Igreja através do arrebatamento. Igreja é o conjunto de salvos, todo aquele que confessa Jesus como Senhor da sua vida.

Quando a noiva está pronta e acontece a grande festa do casamento judaico, os noivos bebem o vinho do mesmo copo que simboliza a aliança, união perfeita e inquebrável. No final, o noivo joga a taça no chão e a pisa, pois é exatamente assim que acontecerá na festa de casamento de Jesus com a Igreja, quando as taças da ira do Cordeiro serão derramadas na terra.

“O primeiro anjo foi e derramou a sua taça pela terra, e abriram-se feridas malignas e dolorosas naqueles que tinham a marca da besta e adoravam a sua imagem.” Apocalipse 16:2

A primeira taça sobrevêm na vida de todo aquele que optou pela marca da besta e negou a Cristo.

“E o segundo anjo derramou a sua taça no mar, que se tornou em sangue como de um morto, e morreu no mar toda a alma vivente.” Apocalipse 16:3

Na segunda taça, a ira lançada fará que todo ser vivente no mar morra e produza um cheiro insuportável.

O terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes, e eles se transformaram em sangue.

Então ouvi o anjo que tem autoridade sobre as águas dizer:

“Tu és justo,

tu, o Santo, que és e que eras,

porque julgaste estas coisas;

pois eles derramaram

o sangue dos teus santos

e dos teus profetas,

e tu lhes deste sangue

para beber,

como eles merecem”.

E ouvi o altar responder:

“Sim, Senhor Deus todo-poderoso,

verdadeiros e justos

são os teus juízos.” Apocalipse 16:4-7

Terceira taça, irá faltar água potável no mundo, o que irá se concentrar sob o poder de algumas poucas empresas ligadas a certos grupos econômicos e governamentais que terão o controle do fornecimento.

“E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo.

E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória.” Apocalipse 16:8,9

Na quarta taça, a temperatura solar ficará insuportável no mundo, muito mais do que experimentamos hoje, pois o calor queimará a pele das pessoas e, com isso, muitos blasfemarão o nome do Altíssimo.

“E o quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino se fez tenebroso; e eles mordiam as suas línguas de dor.

E por causa das suas dores, e por causa das suas chagas, blasfemaram do Deus do céu; e não se arrependeram das suas obras.” Apocalipse 16:10,11

Na quinta taça, o Senhor envia trevas e haverá uma praga que deixará o corpo com muitas feridas e muitos continuarão negando o poder de Jesus.

“E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente.” Apocalipse 16:12

Na sexta taça, com os canais secos do rio Eufrates haverá preparação para mais tarde acontecer a passagem do exército vindo do norte, os reis do oriente, Gogue e Magogue que chegarão mais rápido ao vale do Megido ou Armagedom, lugar onde irá acontecer a última batalha.

“O sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e do santuário saiu uma forte voz que vinha do trono, dizendo: “Está feito! “

Houve, então, relâmpagos, vozes, trovões e um forte terremoto. Nunca havia ocorrido um terremoto tão forte como esse desde que o homem existe sobre a terra.

A grande cidade foi fracionada em três partes, e as cidades das nações se desmoronaram. Deus lembrou-se da grande Babilônia e lhe deu o cálice do vinho do furor da sua ira.

Todas as ilhas fugiram, e as montanhas desapareceram.

Caíram sobre os homens, vindas do céu, enormes pedras de granizo, de cerca de trinta e cinco quilos cada; eles blasfemaram contra Deus por causa do granizo, pois a praga fora terrível.” Apocalipse 16:17-21

Na sétima taça, acontecerá o maior terremoto da história da humanidade sobre toda a terra, logo depois, cairão pedras com cerca de 35kg sobre a humanidade e, com muitas revoltas e o ódio habitando nos corações endurecidos, muitos continuarão negando e blasfemando o nome do Senhor Jesus.

Nesse segundo momento de grande da tribulação, não haverá testemunhas e nem quem pregue a palavra.

Esse episódio das taças da ira acontecerá após o término do acordo de paz do iniquo, como último julgamento com ênfase na punição do governo do anticristo.

“Com muitos ele fará uma aliança que durará uma semana. No meio da semana ele dará fim ao sacrifício e à oferta. E numa ala do templo será colocado o sacrilégio terrível, até que chegue sobre ele o fim que lhe está decretado”. Daniel 9:27.  

%d blogueiros gostam disto: