Por Thais Rocholi

Por Thais Oliveira , @thaisrocholi

Aristóteles foi um dos primeiros pensadores ocidentais a tratar de temas como o da criação. Seus manuscritos foram estudados e interpretados por vários povos, dentre eles, de origem grega, árabe e latina, sendo influência para várias vertentes de pensamentos. O tema da criação está em alguns dos textos aristotélicos ligado ao conceito de “mímesis” que significa imitação, representação, mímica ou o ato de se assemelhar e se expressar.

Pensamos a partir da nossa visão de mundo e nossas experiências. O ser humano, desde a sua existência, é um ser muito criativo, pois possui um elo com o meio que o rodeia, sendo estimulado a explorar sua criatividade no dia a dia.

Desde quando comecei a observar aves, tentei fazer uma associação da natureza para minha vida. Tornando-a melhor! Alguns birdwatching com atividade de muitos anos, tem me revelado um pouco sobre águias, mas também tenho em casa vários livros especializados acerca de aves. A águia pode ser uma metáfora da existência humana para meditarmos se alcançamos ou não essa dimensão. Para começar, podemos refletir internamente, sabendo distinguir o que é realidade e o que é sonho, o que é necessidade e o que é desejo, o que é fato e o que é ideia, o que é religião e o que é fé, o caos e o cosmos…

A teologia natural contemporânea enxerga Deus não como o ponto pelo qual se chega a observação do mundo natural, mas como sua hipótese. Ao contrário disso, a teologia cristã enxerga Deus como o criador e Aquele que sustenta todos  os processos e leis naturais. Ele age e sustenta a natureza  em todo o tempo, pois nEle subsistem todas as coisas.

“E Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por Ele” (Colossenses. 1:17)!

No original grego, pensar Deus, é pensar como Aquele que organiza e coloca tudo em ordem (katartizo) completando aquilo que deve ser completado, ou restaurado. O pensamento hebraico-cristão fundamenta que Deus é o Autor das diversas eras passadas e que pelas quais ainda passará o Universo.

Uma era é um período muito extenso da história que tem como característica várias formas de vida e culturas bastante diferentes ao se comparar com períodos anteriores.

A visão hebraico-cristã do Autor da Vida, revela a glória criada direcionada para os  indícios da glória incriada; uma deriva da outra e a reflete de algum modo.  Não dá para ignorar que a observação e a contemplação da natureza não levante perguntas dentro desse contexto a respeito da criação.

Quando falamos em mimetismo na filosofia aristotélica, tudo o que o homem produz ou utiliza como uma metáfora para sua vida, enquanto atividade mimética de observação da natureza, pode levar a uma revelação numa admirável dimensão, de olhar-se não a partir da natureza para se obter a fé, mas para a natureza como criação divina.

O sábio, quando se dedica ao ócio, sabe que está se ocupando de coisas que poderão ser úteis àqueles que fazem parte da sua vida, bem como de outros tantos. Em vez de arrastar-se inutilmente, em coisas com resultados inertes. Que possamos buscar uma forma de transformar o ócio em algo útil aos semelhantes, concentrando esforços para ações produtivas!

Compartilhe esta página!! 

%d blogueiros gostam disto: